O MVP como ferramenta de aprendizado

O MVP como ferramenta de aprendizado

O conceito de MVP popularizou muito rápido nos últimos anos e apesar das siglas significarem Mínimo Produto Viável o MVP nem sempre se trata de um produto e é bem comum as pessoas se confundirem sobre o real objetivo deste recurso.

Primeiro temos que entender que MVP não é um produto e sim um processo. Com a adoção de culturas ágeis em startups se tornou comum a ideia de lançar um MVP para entregar resultados mais rápidos para o cliente, no entanto um MVP serve simplesmente para testar e validar uma hipótese investindo pouco esforço e recursos, assim conseguimos mudar os requisitos do projeto mais cedo se for necessário permitindo vantagem competitiva para o cliente, melhor direcionamento para o que deve ser construído e planejamento mais assertivo na alocação de recursos.

Para validar uma hipótese precisamos identificar uma oportunidade de negócio. Existe demanda para esta ideia? O público-alvo tem um problema que essa funcionalidade resolve? Alguém já pensou nisso e resolveu o problema de outra forma? O que deu certo e o que deu errado? São pontos importantes que precisamos considerar antes de sair criando protótipos e esta é uma etapa essencial do processo de discovery, entender o negócio, identificar uma oportunidade e pensar na forma mais simples de solucionar aquilo. Um MVP não precisa ser um protótipo bonito de alta fidelidade cheio de animações a cada interação do usuário, pode ser um rascunho, um wireframe, um protótipo de baixa fidelidade e até mesmo uma sequência de slides, o mais importante é que não precisa ser completo e bem definido, o foco é errar cedo para aprender rápido.

Unindo isso com metodologias ágeis conseguimos ser mais objetivos na entrega usando técnicas para priorizar o que irá gerar mais valor para o cliente e focar apenas naquilo, testar para validar a ideia, aprender com os feedbacks e corrigir o que for preciso continuamente sempre deixando claro se o produto está ou não entregando valor. A vantagem em testar hipóteses em um curto período de tempo está em validar o que vai gerar resultados positivos e descartar ideias que deram resultados negativos impactando principalmente no investimento financeiro no projeto envolvendo recursos, tempo, tamanho e esforço do time que também adquire mais maturidade com os aprendizados e consequentemente diminuem riscos no lançamento do produto.

Quanto mais rápido aprendemos mais rápido tomamos decisões assertivas sempre orientadas a dados, isso nos permite desenvolver um produto que realmente atenda às necessidades do cliente pensando também na melhoria contínua.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Open chat
1
Posso ajudar?
Olá,
Podemos te ajudar?
R. Alvorada, 1289 - CJ 615 - Vila Olímpia, São Paulo - SP, 04550-004